Québec Task Force e a pesquisa sobre a entorse cervical da revista de Medicina Ortopédica

(1)Spitzer WO, Skovron ML, et al. Scientific monograph of the Quebec Task Force on whiplash-associated disorders : redefining whiplash and its management . Spine 1995 ; 20 :8S. 
(2)Khan S, Cook J, Gargan M, Bannister G. A Symptomatic Classification of Whiplash Injury and the Implications for Treatment. Journal of Orthopedic Medicine. 1999 ; 21 (1) : 22-25.

Em 1995 foi publicada a pesquisa do Québec Task Force sobre afecções relacionadas com a síndrome do “latejamento cervical” (whiplash) a entorse cervical. Os médicos pesquisadores de Norte América e Europa reunidos estudaram a literatura cientifica e desenvolveram umas guias de tratamento: 

- O tratamento de lesões de tecido mole da região cervical (i.e., entorses sem fratura óssea) deve ser similar à da lombalgia (de origem mecânico), ou seja, recomendam uma atividade moderada, em vez de repouso ou imobilização, para melhorar a amplitude de movimento cervical e reduzir a dor. Recomendam manipulações por profissional qualificado para reduzir a dor e aumentar a mobilidade. 

Cada dia aparenta mais óbvio o fato do tratamento convencional do colete cervical, analgésicos e mandar o paciente a casa como rotina, ser não só ineficiente, mas também este enfoque passivo do problema em contraproducente ao permitir que a afecção/infecção se torne crônica e se formem seqüelas permanentes. Há de se realizar um tratamento ativo que inclua manipulação vertebral para restaurar a função músculo-esqueletal o quanto antes e reduzir a dor, como comprova o estudo publicado (2) em 1999 na revista de traumatologia americana, Journal of Orthopedic Medicine. Esta pesquisa foi finalizada pelo Departamento de Cirurgia Ortopédica da Universidade de Bristol (Reino Unido). Pesquisou-se a eficácia dos tratamentos disponíveis para entorse cervical e os autores citam: 

- “O tratamento convencional dos pacientes com entorse cervical é decepcionante”.
- “Nossos resultados confirmam a eficácia do tratamento quiroprático”. O 74% dos pacientes tratados por Doutores em Quiropraxia melhoraram, incluindo os que apresentavam deficiências neurológicas e/ou restrições na região do movimento cervical.
- “A quiropraxia é o único tratamento a comprovar a sua eficiência em casos crônicos”.